Meu tio coroa – Contos

Na época eu aguardava o resultado do processo de alistamento no exército, não queria de modo algum perder uma ano de minha vida confinado em um quartel sendo humilhado por Sargentos, Tenentes, Capitães e afins mesmo que isso para alguns seja um prazer sem limite foi algo que nunca passou pela minha cabeça.

Como nessa época é muito difícil conseguir um emprego, ficava todo o tempo em casa lendo e estudando para o vestibular não tinha namorada e não gostava de ficar na rua com o pessoal que já estava metido em coisas ruins.

Nesse meio tempo um tio meu veio morar ao lado da minha casa com meus avós, ele era o mais velho da família sempre morou no interior e tinha aquele jeito meio grosseiro de homem rústico, era separado e na época tinha bem os seus 55 anos…

Ele era pedreiro construía muito bem, e começou a trabalhar numa obra de reforma que era próximo de casa mas que o obrigava a dormir por lá, meus pais sugeriram a mim que eu fosse ajuda-lo nessa obra, já que eu estava em casa sem fazer nada, a contragosto acabei aceitando e fui trabalhar com meu tio nessa tal obra.

Como não conhecia nada do ofício meu tio me explicou algumas coisas mais simples e me colocou para trabalhar, nisso pude perceber alguns detalhes que não havia visto antes, ele era um homem lindo com alguns pelos no corpo, grisalho e com uma barriga saliente muito gostosa, durante o dia me peguei olhando para ele algumas vezes e em algumas ele notava que eu o encarava com outros olhos, o que me deixou com muita vergonha afinal de contas ele era da família e era um cara casado, macho e distinto…

Bom, trabalhei o dia todo, tomei um banho em um banheiro precário e estava me preparando para ir pra casa, nisso começou uma chuva muito forte que durou cerca de duas horas, assim liguei para casa e informei que iria ficar por lá mesmo já que não conseguia ir pra casa, eles concordaram até porque era mais seguro do que sair na chuva e já com a hora avançada.

Meu tio foi até o mercado e comprou algumas coisas para comermos , ele gostava de beber e comprou também um garrafa de cachaça, e tomou vários copos, ele se levantou, para tomar banho e nisso eu o olhei diretamente na virilha, ele notou e fechou a cara… fiquei com muito medo de ele contar aos meus pais, mas ele não disse nada. Acabou saindo de onde estávamos e foi urinar.

Quando voltou tomei um baita susto, ele estava só de cuecas mas não havia tomado banho, aquela cena mexeu comigo, ele de meias pretas, e com uma cueca cor de vinho daquelas Zorbas de modelo antigo, bem surrada, dava pra ver um certo volume na cueca dele, e vários pelos meio grisalhos até pra fora dela.

Ele se sentou e começamos a conversar banalidades quando o assunto começou a partir para o sexo, ele me perguntava com grande interesse se eu havia sido chupado por alguma menina da escola e seu eu transava regularmente, como sou muito tímido acabei falando que era raro eu sair com alguma menina.

Ele riu e fez o assunto tomar um outro rumo, começou a me perguntar se eu tinha o pinto grande como todos da família, dei risada meio nervoso mas falei que não era tão grande assim (16 cm bem grosso), vi que ele falava isso e mexia no pau dele dentro da cueca olhando pra mim.

Essa foi a deixa que eu esperava acabei tomando coragem e perguntei a ele se o pau dele era grande mesmo, ele me disse assim “- É bem grande sim, olha só!”, a cena que se seguiu não sai da minha cabeça até hoje, ele se levantou quase encostando em mim e abaixou a cueca quase na minha cara tirando um caralho grosso com a cabeça bem vermelha e com cheiro característico de macho, bem duro, ele devia ter uns 19cm ou mais…

0 Meu tio coroa   Contos

Ao ver isso fiquei com muita vergonha e até falei: “- Que é isso tio guarda isso aí só queria saber se é grande mesmo.”

Ele me falou com cara de sacana que estava a muito tempo sem transar e que por isso estava de pau duro, mas aquela situação de estar com um coroa dos sonhos de pau duro na minha cara era incrível demais, não resisti e acabei encostando a boca na cabeça do seu pau, não me contive e comecei a chupá-lo com vontade, meio sem jeito pois não tinha experiência mas com muito tesão , ele começou a gemer e a me chamar de viadinho, dizendo que iria me foder a noite inteira pois ele sabia que era isso que eu queria…

Chupei ele por uns 05 minutos. As vezes ele segurava minha cabeça e socava até a minha garganta sem me deixar respirar, em um dado momento senti ele estremecer e a suar bastante, aquele cheiro de macho suado, trabalhador com o gosto de pica me deixava louco de tesão, ele segurou forte a minha cabeça e gozou na minha boca, soltando um urro de prazer, me fazendo tomar todo o seu leitinho, e não me deixando tirar o pau de dentro da boca me segurando com força.

Engoli toda a sua porra e gozei também sem tocar no meu pau!

1.5 Meu tio coroa   Contos

Com a chuva ainda forte lá fora, deitamos para dormir, ele estava quieto e eu também, acho que ambos estavam estranhando o que havia acontecido, eu deitei ao lado dele mas não dormi, estava de cueca e ele também…

No meio da noite acho que devido ao frio que fazia acabei me encostando nele, minha bundinha branca encaixou certinho no seu quadril de macho, como queria continuar a brincadeira de leve comecei a esfregar minha bunda nele e não demorou muito seu cacete deu sinal de vida!

Ele começou a me se esfregar em mim com força me beijou a nuca e me deixou com muito tesão novamente, nessa posição ele tirou as nossas cuecas e cuspiu na mão e começou a enfiar um dedo no meu cu. “- Nossa que dedo grosso, e gostoso”, eu rebolava nele como se pedindo mais, do nada ele me vira de costas, deita sobre mim e fala “- Vou te foder como ninguém nunca vai fazer na sua vida!”, logo depois sinto o peso do seu corpo sobre mim, suas mãos abrindo minhas nádegas e algo duro começando a roçar meu cuzinho já um pouco laceado pelo seu dedo…

Z3 Meu tio coroa   Contos

Senti seu cacete entrar de uma vez, sem dó nem piedade, ele socou tudo e começou a me foder com força, o misto de prazer e dor, de ser submisso e de obedecer aquele macho suado me usando foi incrível, ele socava cada vez mais fundo e suava bastante me molhando com seu suor, depois de saciar nessa posição ele me virou de barriga pra cima, colocou um travesseiro no colchão bem acima da minha cintura, e assim com minhas pernas em seus ombros teve livre acesso ao meu cuzinho arrombado, ele meteu com tudo mais uma vez, as estocas eram fortes e vigorosas, seu cheiro de macho e seu peso em cima de mim me deixavam louco, comecei a tocar uma punheta enquanto era arrombado pelo seu pau ao ver isso ele ficou com mais tesão ainda estocava forte, tirava o pau inteiro e colocava de uma vez, quando sei seu corpo tremer acelerei minha punheta e pude ter o prazer de gozar junto com ele, com meu cu mordendo seu pau!

Ele deitou exaustou ao meu lado sem antes me obrigar a limpar seu pau com a boca o que fiz com prazer.

Depois disso ele me disse que estava esperando desde cedo eu me entregar pra ele e que ele já sabia que eu daria pra ele essa noite, pois via a maneira com que eu o olhava.

A obra durou mais um mês e eu o acompanhei durante todo esse tempo, transamos todas as noites e as vezes até de dia, acabei descobrindo que um dos seus fetiches era que eu usasse sua cueca suada para ele me comer, mas essa é outra história que contarei a vocês na próxima vez…

Deixe seu comentário